Enter your keyword

ATÉ CHURRASCARIAS ENTRAM EM ONDA VEGETARIANA

ATÉ CHURRASCARIAS ENTRAM EM ONDA VEGETARIANA

GIULIA GIUNTINI

As churrascarias são conhecidas como ambiente dos sonhos de quem ama carnes, e por mais improvável que pareça, elas também têm virado ponto atrativo para pessoas que decidiram cortar de suas refeições a proteína de origem animal. “Acrescentamos mais massas e mais opções de verduras, nada muito difícil. Com essa mudança pequena, conseguimos agradar mais de um tipo de cliente, isso é satisfatório”, afirma Valdir Anguilatto Oliveira, gerente de uma churrascaria renomada na cidade.

A adaptação nas pistas e no cardápio não é por acaso. De acordo com uma pesquisa realizada pelo IBOPE em 2018, houve um aumento significativo no número de brasileiros que se declaram vegetarianos. Em 2011, o instituto fez sua primeira pesquisa sobre o número de vegetarianos no país. Os resultados do estudo mostraram que 9% da população não comia carne. Na época, essa porcentagem representava cerca de 17,5 milhões de pessoas. Na pesquisa do último ano, cerca de 14% dos brasileiros tinham essa restrição alimentar, agora são cerca de 29,2 milhões brasileiros.

Pista de restaurante vegetariano em Ribeirão

Já existem no Brasil cerca de 240 restaurantes vegetarianos e veganos. Marcelle Goulart Martiniano Figueiredo é proprietária de um restaurante de comida vegetariana na Zona Sul de Ribeirão Preto. “Abrimos o restaurante há 5 anos, desde então percebemos um aumento na procura por esse tipo de refeição. Porém, 90% dos nossos clientes não são vegetarianos, mas procuram ter uma alimentação saudável. ”

Em 2018, a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVG) completou 15 anos de existência. Por meio de campanhas, programas, convênios, pesquisa e ativismo, a SVB realiza conscientização sobre os benefícios do vegetarianismo e trabalha para aumentar o acesso da população a produtos e serviços vegetarianos.

Eduardo Tamburus economista no setor alimentício, afirma que a tendência desse mercado é aumentar cada vez mais, mas acredita que um fator que pesa para alguns consumidores na hora de escolher um produto mais saudável, é o preço. “Para esse tipo de comida, são utilizados muitos produtos orgânicos. Os preços deles não são muito agradáveis, como o gosto”, brinca.

A estudante Bianca Bertoni, de 20 anos, é vegetariana e administra uma conta em uma rede social em que dá dicas de receitas e como manter uma dieta gostosa sem carnes de origem animal. Ela acredita que os posts e stories incentivam pessoas a se dedicarem a uma alimentação mais saudável e consciente, mas que ainda sim há um tabu por trás. “Muitos associam que fazer uma refeição sem a proteína animal é comer algo sem graça, eu procuro provar o contrário. Mostro que mesmo com a correria do dia a dia é possível ter uma alimentação saudável, diferenciada e muito gostosa”, afirma.

-
0:00