Enter your keyword

“Biblioteca Ambulante” desperta gosto pela leitura em escola pública

“Biblioteca Ambulante” desperta gosto pela leitura em escola pública

Repórter: Lauani Meira

Projeto promove o interesse dos alunos pelos livros em rodas de leitura e ambientes descontraídos

O projeto “Biblioteca Ambulante”, desenvolvido pela professora de Língua Portuguesa, Valéria Fernandes, na E.E. Prof. Walter Ferreira, na Vila Tibério, em Ribeirão Preto, promove o interesse pelos livros entre alunos dos oitavos e nonos anos do ensino fundamental, por meio de uma roda de leitura. Mediante a interpretação e discussão de obras literárias, a proposta aprimora a capacidade de leitura dos alunos que já têm o hábito e desperta o interesse entre aqueles que não leem frequentemente.

Nessa atividade, os alunos vão para a biblioteca ou a sala de vídeo junto com a professora e ficam à vontade para apreciar os livros. Eles podem levar almofadas, sentar no chão ou formar pequenos grupos. Às vezes vão para outros espaços da escola e podem até mesmo realizar um piquenique comunitário. O intuito é tirá-los da sala de aula e acabar com a ideia de leitura por obrigação.

Para despertar interesse, a professora apresenta livros de acordo com faixa etária e entre esses, os estudantes podem escolher o que querem ler. No final, há uma discussão a respeito de um tema ou determinada parte que eles destacarem. Inicialmente, a intenção não é ler o livro inteiro, mas praticar a leitura, pois o material pode ser levado para casa ou ser lido durante o intervalo das aulas.

A estudante Anna Julia Pollo, 14 anos, costuma trazer livros de casa para ler na escola com os colegas e afirma que o projeto mudou seu hábito de leitura. “Sempre gostei muito de ler, mas a professora me fez conhecer livros novos. Gosto de ler poesia, romance, de tudo um pouco.”

A estudante Anna Julia faz comentários sobre o livro no momento pós-leitura

A professora Valéria explica que o principal objetivo da iniciativa é a formação de leitores e escritores críticos. “O mais importante é ensinar ao aluno como ler, porque não é apenas passar os olhos e sim, trazer o mundo descrito no texto para si, analisar a história. Busco sempre incentivá-los a ler, interpretar e desenvolver um pensamento crítico”, afirma.

ALÉM DA ESCOLA — O projeto na E.E. Prof. Walter Ferreira é realizado desde 2000, ano em que Valéria começou a trabalhar na instituição. Antes disso, desde 1997, a professora desenvolvia a mesma atividade na E.E. Alberto Santos Dumont, localizada no bairro Sumarezinho, também em Ribeirão Preto. Os resultados sempre foram positivos.

Diante do trabalho da professora, os alunos passam a entender que a leitura é um hábito e mesmo aqueles que não têm o costume acabam se interessando. O estudante Igor Gabriel de Oliveira, 14 anos, afirma que teve o hábito de leitura resgatado pela iniciativa. “Minha família não lia muito e como não era incentivado, fui parando de ler aos poucos. A professora me fez abrir a mente para diferentes livros e pretendo continuar lendo.”

Além disso, muitos têm uma melhora na escrita, oratória e conhecimento de mundo. Segundo a professora, “são muitos exemplos de alunos que levaram o aprendizado do projeto e não pararam mais de ler ou a vivência ajudou na produção de texto no vestibular.”

Professora Valéria apresenta aos alunos as obras selecionadas para a leitura do dia

A Biblioteca Ambulante não permanece apenas na sala de aula, pois os alunos compartilham os livros com amigos e conhecidos. “Há relatos de muitos que compartilharam a leitura com os pais, por exemplo”, afirma Valéria. Segundo ela, muitas vezes os próprios pais perguntavam se havia algum livro da sala de leitura para o aluno levar para casa e eles lerem.

“O intuito é formar grandes leitores de mundo e deixar o estudante à vontade para ler e transformar não só a própria realidade, mas a da família também”, afirma a professora Valéria Fernandes.  “Com o poder de leitura nas mãos somos capazes de desbravar o mundo”, acrescenta.

 

Leia mais:

A leitura levou Ewelyn para o México

 “Meu objetivo é ir além da leitura e do passar os olhos”

-
0:00